Categoria selecionada: Notícias

19 Aug 2014

Endomarketing. Transforme funcionários em advogados da marca.

Endomarketing: transforme colaboradores em fãs

Notícias postslider
[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter]

por Letícia Cazes

Muitas empresas se preocupam em transmitir uma imagem positiva dos seus serviços para atrair clientes, mas, quando eles chegam ao ponto de venda, a imagem observada é bem diferente da vendida. Ocorre, então, uma dissonância entre a imagem projetada e a imagem percebida, o que frustra o consumidor e pode levá-lo a desistir daquela compra e a não mais voltar à empresa. Isso ocorre na maioria das vezes devido ao mau atendimento prestado por vendedores (petshops) ou por médicos veterinários, no caso das clínicas.

Como ‘colocar para fora’ uma imagem positiva, sem que ela esteja bem assimilada pelos funcionários? Uma empresa é formada por pessoas e são elas que representam a marca. Assim, a qualidade do atendimento prestado na hora da entrega do produto/serviço e a possível retenção do cliente depende do funcionário, que está em contato direto com o consumidor.

Diante de toda essa responsabilidade, o público interno tem que ser encarado como o primeiro cliente da empresa. Deve ter as suas necessidades entendidas e atendidas e as suas expectativas superadas. Assim, ele se torna aliado da organização na busca pelo sucesso. Invista em endomarketing e conquiste melhores resultados econômicos e humanos! Abaixo, explicamos o conceito e como você pode utilizá-lo a favor da sua empresa.

O prefixo ‘endo’ da palavra endomarketing significa ‘ação interior ou movimento para dentro’. Ou seja, é a utilização de ferramentas de marketing dirigidas ao público interno. O endomarketing é um instrumento eficaz para orientar os colaboradores quanto aos objetivos da organização. Baseado numa comunicação transparente, o marketing interno promove a motivação das pessoas e garante o compromisso delas com os objetivos estratégicos.

O endomarketing envolve temas como: motivação dos funcionários, treinamentos, medição de clima organizacional, comunicação interna (mão dupla), treinamentos, comprometimento com a empresa, valores e satisfação do consumidor. Em resumo, busca dar o auxílio necessário para que o funcionário execute suas funções da melhor forma possível e se sinta parte da organização.

Não esqueça que no próximo dia 9 (09/09) comemora-se o dia do Médico Veterinário! Uma excelente oportunidade para uma ação de relacionamento. Já pensou o que vai fazer? Fale com a Invet Care! Podemos ajudar!

compartilhe este artigo:

[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter] [ultimatesocial_google] [ultimatesocial_linkedin]

14 Aug 2014

O líder tem o discurso e as atitudes alinhadas.

Discurso x Atitude: A diferença entre líderes e chefes

Notícias postslider Uncategorized
[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter]

por Letícia Cazes

Muito se fala sobre liderança. Vire e mexe alguém cita a diferença entre um chefe e um líder, mostrando a superioridade da liderança sobre a chefia. Agora, caro leitor, nós resumiremos o porquê da prevalência da liderança em poucas palavras: o líder age de acordo com o que prega.

Além de ter que ser visto como muito bom tecnicamente, um líder é aquela pessoa que é notada como íntegra, justa, confiante, racional, mas também sentimental e cheia de empatia. Com essas características, transmite segurança para a equipe, influenciando as pessoas a fazerem sempre o melhor. ‘Faça o que eu digo, porque eu, realmente, faço o que falo’ é o seu lema.

Dizem que o amigo verdadeiro é aquele que lhe critica pela frente e elogia pelas costas, nunca ao contrário. O mesmo serve para o líder em relação aos seus liderados: elogios devem ser públicos e críticas devem ser faladas diretamente com a pessoa. Ser líder não é fácil, mas essa habilidade pode ser desenvolvida, quando a pessoa tem o perfil e vontade de melhorar.

Lembre-se de que o líder é o produto aspiracional da equipe. Ela compra as ideias dele, quando contagiada. Agora, ela também pode ser contaminada, no caso dos maus chefes! A equipe é sempre uma extensão, ou melhor, um reflexo da chefia.

 

Precisando de treinamento de liderança pessoal ou para os seus gerentes (líderes)? Podemos ajudar! Marque uma reunião com a gente por: relacionamento@invetcare.com.br ou (21) 2586-6383.

Centro Empresarial Mourisco – Praia de Botafogo, 501. Torre Pão de Açúcar 1°andar. Botafogo – Rio de Janeiro – RJ.

compartilhe este artigo:

[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter] [ultimatesocial_google] [ultimatesocial_linkedin]

6 Aug 2014

O mercado pet está se profissionalizando e as empresas familiares, que cresceram de forma desordenada, devem se atentar e investir em profissionalização ou, possivelmente, não sobreviverão à concorrência avassaladora instaurada no mercado.

Profissionalização: ainda há espaço para gestão familiar no mercado pet?

Notícias postslider
[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter]

por Letícia Cazes

O mercado pet está se profissionalizando e as empresas familiares, que cresceram de forma desordenada, devem se atentar e investir em profissionalização ou, possivelmente, não sobreviverão à concorrência avassaladora instaurada no mercado com a chegada das grandes redes de petshops e clínicas veterinárias. Isso, sem falar da concorrência no ambiente online, que permite vendas com preços bastante atraentes.

No Brasil, há uma alta mortalidade das empresas familiares logo na primeira geração. Isso acontece devido à colocação dos interesses familiares acima dos da organização e pela não contratação de profissionais administrativos capacitados. Infelizmente, o amor do dono ao negócio e a vontade de que dê certo, perdem para a falta de conhecimento técnico e de perfil para geri-lo administrativa e financeiramente. Muitos donos insistem na manutenção do modelo familiar, porque, segundo eles, deu certo até hoje. Não negamos o mérito dos que obtiveram sucesso com a gestão familiar, mas há muitas empresas praticamente incontroláveis, beirando a falência, devido a esse modelo.

Desculpem o discurso apocalíptico, mas, muitas das empresas familiares, se não se estruturarem e profissionalizarem enquanto ainda estão bem, pararão por aqui, pois não sobreviverão em meio a tamanha competitividade e às grandes transformações da sociedade de consumo. A organização deve estar focada para entender e atender às novas necessidades do mercado consumidor. Afinal, quem dita as regras é o consumidor e não os desejos da família.

Atualmente, há cerca de oito milhões de empresas no Brasil. Dessas, 90% são familiares. De cada 100 empresas, somente 30 chegam à segunda geração da família e apenas cinco à terceira. Por isso, caro gestor, mantenha-se firme no propósito de profissionalizar a sua empresa, pois está fazendo o melhor para garantir a longevidade e o sucesso dela.

No dia a dia da consultoria, percebemos que muitos donos têm medo da estruturação, pois acham que perderão o controle dos seus negócios, ao terem o seu “poder” descentralizado. Nossa experiência na área demonstra que pouco adianta o conhecimento do dono, se ele não o dividir com a equipe. Dividir conhecimento integra e alinha a equipe. Aposte em uma liderança participativa! O talento da equipe, com habilidades diferentes e integradas, contribui para o sucesso da organização.

Sugerimos um coaching de transição para ajudar o dono/gestor na transição e definição do modelo que será implantado na empresa. O planejamento da profissionalização da empresa familiar deve acontecer gradativamente, pois exigirá empenho, desprendimento e capacidade de tomada de decisões lógicas, deixando de lado a emoção e até sentimentos/ ressentimentos familiares.

Muitos familiares negarão a necessidade do processo de organização por: medo de mudança, comodismo, falta de visão etc. Iniciado o processo, qualquer pequeno fracasso pode estimular essa pessoa a ficar ainda mais contra. Por esse motivo e por tantos outros, a presença do consultor é fundamental para a análise imparcial do contexto da empresa e para o redirecionamento das ações gerenciais focadas no cumprimento dos objetivos da organização e no aumento da rentabilidade.

Fechamos esse post com uma pergunta muito importante para a sua reflexão. Se a sua resposta for não, sugerimos que tome uma atitude rapidamente e repense o seu modelo de gestão.

Se precisar se ausentar por duas semanas da sua empresa, ela sobreviverá sem você? 

compartilhe este artigo:

[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter] [ultimatesocial_google] [ultimatesocial_linkedin]

8 Jul 2014

Aumente a sua produtividade

Notícias postslider
[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter]

por Letícia Cazes

Muito se fala sobre produtividade. De um lado os chefes cobrando mais produtividade e resultados e, do outro, funcionários insatisfeitos, que se sentem sobrecarregados e não sabem como produzir mais. Mas, afinal, o que é produtividade?

O conceito de produtividade está diretamente ligado à sua performance e ao seu desempenho. Ou seja, a quantidade de tarefas que você deve realizar num período de tempo e a qualidade com a qual as realiza. Concorda que de nada adianta fazer mil coisas ao mesmo tempo sem qualidade? Ou que realizar a tarefa maravilhosamente bem após o prazo pode ser inútil?

Mas, acalme-se e anime-se, você tem o poder para mudar esse quadro e se tornar muito produtivo. Seguem algumas sugestões da InVET Care para lhe ajudar:

1- Quais são as atividades que tenho que realizar hoje e quais posso passar para amanhã? Se todas são muito importantes, quais são as minhas prioridades?

Liste por escrito todas as atividades, definindo ordem e horários para conclusão. Classifique as suas tarefas em importantes, emergenciais e circunstaciais.

2- Por que eu iniciei a tarefa e não a concluí? O que eu posso fazer para não perder a concentração?

Sugerimos que crie horários para checar o celular e as mídias sociais. Não deixe  as mídias nem o e-mail pessoal em abas abertas. Sem querer, você acaba se desconcentrando. Checar a cada duas horas, por até 10 minutos, não fará o seu rendimento cair.

3- Pare por alguns minutos de vez em quando para tomar um café, beber água ou fazer alguma coisa que o relaxe. Talvez seja o momento para checar as mídias sociais ou trocar uma mensagem com os amigos.

Descansar a mente por alguns minutos lhe ajudará  a ficar mais tranquilo e a ter ideias para concluir aquela atividade.

compartilhe este artigo:

[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter] [ultimatesocial_google] [ultimatesocial_linkedin]

30 Jun 2014

Comunicação empresarial eficaz

Comunicar-se bem no ambiente de trabalho é preciso e possível

Notícias postslider
[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter]

por Letícia Cazes

Com frequência, ouvimos pessoas dizendo que são responsáveis pelo que dizem, não pelo o que os outros entendem. Parece uma tentativa de se eximirem da responsabilidade da comunicação. Obviamente, muitas vezes os ouvintes entendem o que querem com o intuito de se aproveitarem. Mas, caro leitor, você é responsável sim por fazer o outro entender a sua mensagem, ainda mais no ambiente de trabalho.

A boa comunicação é fundamental para a criação de imagem profissional positiva. Por isso, antes de falar, observe o ambiente, a situação e até mesmo a emoção do seu interlocutor naquele momento. Assim, você poderá evitar conflitos desnecessários.

Comunicar não é só falar algo, mas, principalmente, ser compreendido. Se o objetivo é só falar, fale sozinho! Se você não se responsabiliza e nem pensa antes de falar ou em como falar, causa vários mal entendidos que, rapidamente, saem da esfera profissional e chegam a ordem pessoal.

Listamos 4 dicas para melhorar a sua comunicação no ambiente de trabalho:

Pratique a escuta ativa

Evite falar: ok, sim ou ‘tá’, sem que realmente tenha compreendido a mensagem. Olhe no olho da pessoa que fala com você, mostre que você está dedicando a sua atenção para ela. Assim, você cria vínculos e passa segurança, valorizando o seu interlocutor. Com certeza, quando for a sua vez de falar, a pessoa estará mais disposta a ouvir a sua mensagem.

Escolha o tom e as palavras certas

Ser direto e profissional não quer dizer que você seja frio ou mau. O importante é que adeque o seu discurso, escolha as melhores palavras e o tom de voz certo. Tenha cuidado com palavras e gestos que levem a percepções e reações negativas. Evite usar palavras negativas no início da conversa para não fechar o canal de comunicação, antes mesmo que ela se estabeleça.

Escolha o momento certo do seu interlocutor

Perceber o momento certo é fundamental para atingir seus objetivos de comunicação. Falar na hora errada, acaba fechando os canais de comunicação, fazendo com que a outra pessoa não tenha disposição para escutar. Espere o momento apropriado, perceba as emoções e o contexto, procurando identificar o momento certo.

Escolha o seu momento certo

Sabe aquela história de que uma imagem vale mais que mil palavras? Pois é, ela é verdadeira. As pessoas percebem as suas expressões e gestos enquanto fala. Perceba suas próprias emoções! Talvez, num momento de descontrole emocional, seja melhor investir apenas na comunicação verbal e mandar um e-mail. Assim, o seu discurso positivo não será traído por sua voz carregada de emoções negativas. Tratar de um assunto delicado, em um momento de mau humor, pode ser desastroso tanto para quem fala como para quem recebe a mensagem.

Concordamos que não é fácil aplicar as nossas dicas! Elas exigem bastante inteligência emocional. Mas, dê o primeiro passo! Passo após passo, tentativa após tentativa e você verá como comunicar-se bem traz bons resultados para você e para a sua equipe.

compartilhe este artigo:

[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter] [ultimatesocial_google] [ultimatesocial_linkedin]

6 Jun 2014

É possível desenvolver todo potencial de seus funcionários. O Executive Coaching transforma potencial em objetivo e objetivo em resultados.

Executive Coaching: Desenvolva todo o potencial dos seus funcionários

Notícias postslider
[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter]

por Letícia Cazes

A InVET care atua junto à empresa seja com líderes, altos executivos e times para alinhar e aumentar os resultados profissionais e organizacionais. Entre os objetivos do executive coaching estão: Elevação da performance; Alinhamento entre os objetivos organizacionais e profissionais; Desenvolvimento de liderança e Desenvolvimento de competências e mudanças comportamentais no contexto organizacional.

Os objetivos são estabelecidos pela própria empresa, o que não significa que o coachee (pessoa que recebe o coaching) não tenha voz ativa no processo e defina os seus próprios objetivos. Ele estabelecerá as suas próprias metas para chegar aos resultados almejados. A InVET care ajuda no alinhamento dos objetivos do coachee com os organizacionais e na condução do ponto A (atual) ao ponto B (objetivo).

Entenda o que o executive coaching pode fazer por:

1- Líderes e altos executivos: Tornar a liderança de CEOs, gerentes e executivos de alto escalão ainda mais eficaz.

2- Profissionais de médio escalão: Desenvolver o potencial e elevar a performance.

3- Times: Contribuir para o aumento da sinergia entre os membros da equipe e transformá-la num time de alta performance.

4- Líderes potenciais: Desenvolver novos líderes dentro da empresa.

A empresa também pode contratar o executive coach para questões específicas como: melhoria do clima, auxilio no processo de gestão de mudança, adaptação dos profissionais durante um processo de fusão, elevação do resultado de um determinado departamento etc. Os resultados obtidos são sempre muito positivos tanto pessoal quanto profissionalmente.

Invista em executive coaching e desenvolva todo o potencial da sua equipe!

compartilhe este artigo:

[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter] [ultimatesocial_google] [ultimatesocial_linkedin]

3 Jun 2014

5 aplicativos grátis que facilitam a vida dos empresários

Notícias
[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter]

por Letícia Cazes

Todo dia surge um novo aplicativo no mercado. Há apps que ajudam os usuários a se organizarem melhor e aumentarem a produtividade. Outros, facilitam as rotinas de trabalho e auxiliam no fortalecimento do relacionamento do empresário com os clientes.

Sugerimos cinco apps gratuitos que podem ser muito úteis para veterinários e donos de pet shops. São eles:

Elevatr
Disponível em inglês para iPhone
Esse app de anotações tem foco na elaboração de planos de negócios. Anote as suas ideias, projetos e dados do mercado.

Prezi
Disponível em português para iPad e web
É um editor de apresentações. Diferentemente do PowerPoint, que gera uma sucessão de slides, ele cria uma imagem inicial que já contém miniaturas dos demais “slides” dentro dela. Na hora de apresentar, utiliza-se efeitos de zoom e deslocamento.

Asana
Em inglês, para Android, iPhone e web
É um gerenciador de projetos para grupos de trabalho. O usuário pode criar uma lista de tarefas, estabelecer os responsáveis e os prazos de conclusão, além de anexar informações adicionais. Cada um, então, faz sua parte e verifica o andamento do projeto, além de trocar mensagens com os demais.

HootSuite
Em português, para Android, iPhone/iPad eweb
É uma central de controle para múltiplas redes sociais (Facebook, Twitter, LinkedIn e Foursquare). Uma de suas funções mais úteis é o agendamento de publicações. Ele também fornece estatísticas de cliques, encurta URLs e permite rastrear palavras-chave.

Dropbox
Em português, para Android, iPhone/iPad e outros
É uma das opções de armazenamento na nuvem. Ele permite sincronizar o conteúdo de uma pasta entre diversos dispositivos, visualizar vários tipos de documentos e fazer upload automático de fotos. Oferece gratuitamente 2 GB de espaço para cada usuário.

E aí, já baixou os aplicativos? Baixe-os logo e comece a aproveitar as facilidades que lhe oferecem! Boa sorte!

 

Fonte: Revista Exame.

compartilhe este artigo:

[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter] [ultimatesocial_google] [ultimatesocial_linkedin]

26 May 2014

A InVET Care sugere a criação de um ambiente para servir de espaço colaborativo, onde os funcionários possam realizar reuniões informais para troca de ideias.

2 passos para aumentar a produtividade da sua empresa

Notícias postslider
[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter]

por Letícia Cazes

Vamos iniciar este post com quatro perguntinhas. Responda com sinceridade. Você tem paciência com a sua equipe? Está mal-humorado sem ter um motivo definido? Se acha muito exigente? Se irrita por ter que explicar algo para a sua equipe mais de uma vez?

Se você respondeu sim para elas, precisa urgentemente mudar de comportamento ou vai reduzir cada vez mais a produtividade da sua equipe. Lembrem-se, todos têm pontos fortes e pontos a serem melhorados. Estimule a sua equipe! Afinal, funcionário motivado é funcionário produtivo.

Abaixo, duas sugestões que funcionam:

 1. Comunique-se sem preguiça

Seja simples e transparente em sua comunicação. Fale o que quer sem rodeios! Cara feia não fará o funcionário ler a sua mente.

Mantenha a paciência e fale quantas vezes forem necessárias para que a mensagem seja entendida.

Atualize a sua equipe sobre novas tarefas e sobre as prioridades e objetivos de cada. Caso haja mudanças, avise!

Incentive uma comunicação aberta e de mão-dupla.

2. Ofereça um espaço colaborativo

Comentários e reividicações sempre existirão entre os funcionários de qualquer empresa. E, acredite, você pode utilizar isso a seu favor.

Crie um ambiente para servir de espaço colaborativo, onde os funcionários possam realizar reuniões informais para troca de ideias. Esteja aberto a ouvir. Ninguém conhece melhor os clientes que os funcionários. Eles estão na ponta, em contato direto com eles.

Os novos escritórios da PayPal em Boston não separam mais os funcionários por áreas de atuação. Todos trabalham no mesmo ambiente para incentivar o pensamento colaborativo. As mesas possuem rodinhas para facilitar o deslocamento e existem paredes que servem como quadro de ideias, onde todos os funcionários podem escrever.

Não é tão difícil assim, não é mesmo! Desejamos boa sorte e sucesso!

compartilhe este artigo:

[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter] [ultimatesocial_google] [ultimatesocial_linkedin]

14 May 2014

Campanhas de Marketing Temáticas: aumente o seu faturamento em meses de menor movimento

Notícias postslider
[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter]

por Letícia Cazes

Assim como todo o comércio, nós, do setor PET, enfrentamos meses de menor faturamento e nos perguntamos o que podemos fazer para fugir do prejuízo. Sugerimos que invistam em Campanhas de Marketing Temáticas.

Um exemplo de campanha seria o Mês da Luta Contra o Mau Hálito. Escolha um mês, tipo fevereiro, que é de grande baixa, e promova ações dentro deste tema, tais como: a limpeza de tártaro, biscoitinhos que o reduzem, promoção de produtos Pet que auxiliam na manutenção da saúde bucal etc. Essa campanha envolve clínica veterinária e pet shop e  aumentará o faturamento.

Para que a campanha tenha retorno, é fundamental o engajamento de toda a equipe e o entendimento da sua importância para a saúde dos animais. Ressaltamos que toda campanha deve  ser planejada  estrategicamente e não meramente executada. Antes de iniciar os trabalhos, você deve traçar os objetivos, planejar as fases da execução, nomear os responsáveis e determinar como será feita a mensuração de todos os esforços e investimentos.

Envolva a sua equipe

Planeje com antecedência, assim, caso os colaboradores e a equipe veterinária precisem de treinamento sobre o assunto da ação de marketing, você terá tempo de fazer. Chame um especialista para executar o treinamento.

Informe e crie relacionamento com o cliente

Para tornar a ação mais ativa, separe uma lista de clientes e ligue convidando para participar da campanha. Use e abuse das mídias sociais e mande uma newsletter informativa para todos.

Atenção: Os clientes devem perceber claramente os benefícios gerados pela empresa na campanha. Sendo assim, todo o material de comunicação deve ser elaborado com muita atenção para ser atrativo para o cliente.

 

Então é isso! Implemente, monitore e aproveite os seus resultados!

 

compartilhe este artigo:

[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter] [ultimatesocial_google] [ultimatesocial_linkedin]

9 May 2014

10 dicas para um atendimento veterinário livre de estresse

Notícias
[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter]

por Letícia Cazes

Muitos animais já chegam à clinica demonstrando fortes sinais de estresse. Além de fazer mal para os nossos amiguinhos, o estresse pode prejudicar o diagnóstico do veterinário e até levar o animal a agredir o próprio dono ou o veterinário. Então, para que possamos ter pacientes e clientes mais felizes, devemos fazer alguns pequenos ajustes.
1- Para que o animal fique mais calmo no carro no trajeto de casa até o consultório, sugerimos que os donos deixem a caixinha de transporte próxima ao animal pelo menos por duas semanas antes da consulta. Assim, ele irá se acostumar com ela e perderá o medo de usá-la. Colocar brinquedos e petiscos dentro da caixinha também ajuda a criar uma situação positiva.

2- O carro não deve ser utilizado apenas para visitas médicas. Transportar o animal por outras razões que sejam extremamente positivas para ele, fará com que não associe o carro a apenas algo negativo.

3- O veterinário deve aconselhar o dono a não alimentar o animal antes da consulta, pois  pode dificultar e confundir o diagnóstico, além de deixá-lo enjoado no deslocamento, o que irá atrapalhar uma consulta que poderia ser tranquila.

4- Ferormônios podem ser usados para aliviar o estresse dos gatos no transporte e na sala para gatos.

5- Ao sair do transporte direto para o no consultório, o animal deve ter um tempo para ficar à vontade explorando o novo ambiente e conhecer o veterinário antes da consulta. Isso irá acalmá-lo, desde que seja seguro para ele e para todos!!!

6- A clínica deve ter na recepção espaços separados para cães, gatos e animais silvestres. Se possível, também consultórios diferentes. Caso não haja espaço, uma boa solução é o uso de barreiras físicas para impedir o campo de visão.

7- Os consultórios devem investir em uma pintura com cores que tragam calma ao ambiente, como o azul.

8- O  veterinário deve deixar todo o material arrumado e preparado para atender e conter o animal. Prever acidentes é a melhor forma de evitá-los!

9- O veterinário deve administrar o tempo do proprietário do animal dentro da clínica e falar o tempo todo o que está fazendo com o animal. Assim, irá acalmá-lo e ele não contaminará o animal com o seu próprio estresse. É importante lembrar que se o animal não estiver estressado, o cliente também ficará mais relaxado e mais propenso a seguir as orientações do veterinário para o tratamento.

10- Invista em músicas ambientes específicas que acalmem os animais. Existem muitos CDs disponíveis online.

compartilhe este artigo:

[ultimatesocial_facebook] [ultimatesocial_twitter] [ultimatesocial_google] [ultimatesocial_linkedin]